Logotipo Da Fórmula de Gestão

Atuação Nacional

Tipos De Crise Empresarial

Atuamos Em Todo Brasil!

Link Para Abrir Whatsapp da Fórmula de Gestão(11)9.8834-4926
Fundador

Há uma grande satisfação emocional e obrigação moral nessa função. Álvaro, quando mais jovem viu seu pai falir duas empresas que foram bem sucedidas e tristemente o viu também sucumbir com a queda dos seus negócios. A impotência na época diante da situação o motivou a buscar aprender e investir em ser capaz de auxiliar os empresários que passam por momentos difíceis, momentos que podem atingir um estágio crítico.

Por isso, nosso CEO, Álvaro Marcos, acumulou conhecimento e experiências ao longo de 10 anos para tornar-se um especialista em gestão de empresas em crise.

Alvaro Marcos - Fundador da Fórmula de Gestão
Contato
Oportunidades

As crises assombram todas as empresas e empresários. É um mal que acomete a saúde financeira, geralmente, e está relacionado a diversas partes de uma administração. É possível afirmar que toda empresa passará por alguma crise durante sua existência. Por isso, hoje, vamos falar dos tipos de crise empresarial e qual a saída para não ser tão afetado por ela.

Independentemente do porte e segmento que a empresa atua, ela está suscetível às crises. No início, pode ser que o fantasma maior seja o de fluxo de caixa, mas com o passar do tempo existem as demissões de funcionários, que podem gerar processos, e até mesmo o contexto econômico do país, que afeta muito a economia.

Separamos quatro tipos de crise empresarial mais comuns para você conhecer e, quem sabe, entender em qual delas sua empresa se enquadra. A partir disso, você poderá encontrar o melhor caminho para se livrar de um cenário incerto para todos.

Crise econômica

As crises econômicas estão ligadas ao contexto mais macro das finanças. Nesse caso, entra em questão os rumos do país e também de outros lugares, pois o preço do dólar e do petróleo, por exemplo, acabam influenciando em muitos fatores internos.

Se o consumidor passa a adquirir menos de seu produto ou serviço, haverá um desequilíbrio e uma crise pode surgir em sua empresa. A queda no faturamento acarreta consequências sérias.

Enxergar o cenário econômico do país e do segmento em que a empresa atua é o primeiro passo para se prevenir e conseguir reagir a uma crise econômica. Esse é o melhor caminho.

Crise financeira

Principal responsável pelo fechamento da maioria das companhias, a crise financeira é avassaladora. Quando as despesas passam a ser maiores do que as receitas o fluxo de caixa fica comprometido, podendo levar a empresa à falência.

O controle financeiro da empresa deve ser feito desde o momento em que os sócios decidem abrir um negócio. É preciso haver um planejamento consciente para que a sustentabilidade da empresa se mantenha no decorrer do tempo.

Uma empresa sustentável é aquela em que os administradores respeitam o fluxo de caixa e conseguem encontrar o melhor caminho para o crescimento ao longo do tempo.

Crise por acidentes

Se um funcionário se fere dentro da indústria ou sofre algum acidente de trabalho, isso pode gerar uma crise grave. A crise por acidente é um tipo de crise empresarial que agrega também possíveis contaminações, vazamentos, incêndios, enfim, qualquer dano à saúde de seus colaboradores.

Ela pode ser considerada uma crise institucional, mas que certamente afeta a parte financeira. Por isso, é tão importante se precaver e buscar que nada disso ocorra.

Caso aconteça algum acidente, é preciso tomar as decisões corretas, através de um plano de ação que preste o auxílio necessário a todos os funcionários que necessitem.

Se algo ocorre aos funcionários, por exemplo, é comum que a imprensa dê destaque e isso prejudique a imagem da empresa perante a opinião pública. Como consequência, o número de clientes pode diminuir ou investidores podem querer sair do negócio.

Crise patrimonial

Para honrar com o que deve a empresa deve ter mais valores em bens do que dívidas. Quando suas dívidas ultrapassam os bens que a empresa possui, diz que há uma crise patrimonial.

Pode-se inserir nesse guarda-chuva também os processos legais, como dívidas trabalhistas ou com fornecedores. Elas podem causar danos severos ao equilíbrio financeiro e administração da empresa, podendo levá-la à falência.

Como superar uma crise

As crises são ruídos que ocorrem durante toda a trajetória de uma empresa. Cabe aos administradores conseguirem perceber esses ruídos e agirem antes que a proporção aumente.

O que faz com que o efeito de uma crise empresarial seja menor é ter uma comunicação clara entre todos os setores, independente da hierarquia.

A liderança é, de fato, quem deve encabeçar o planejamento de uma ação aos cenários de crise, além de buscar resolvê-la juntamente a outros colaboradores.

Durante uma crise, é muito importante que os funcionários do baixo escalão saibam da gravidade e dos riscos que correm. Sempre há medo de demissões e isso pode afetar o desempenho deles. Jogar limpo é o melhor caminho.

Para solucionar uma crise profunda, a empresa pode recorrer a alguns mecanismos. É o exemplo de um investidor, que pode ingressar na sociedade com injeção de capital diretamente ou através de controle parcial de parte da empresa. Isso se chama recuperação de mercado.

Conte conosco para recuperar a saúde financeira de sua empresa! Temos os melhores parceiros para lhe ajudar.

Quando a recuperação de mercado não ocorre, mas existe potencial para isso, pode haver ação judicial para recuperação da empresa. Isso ocorre quando a extinção da empresa vá causar mais prejuízos do que sua recuperação.

Gestão de crises

Uma ferramenta utilizada por muitas empresas para superar os tipos de crise empresarial é investindo em uma boa gestão de crise.

Grandes companhias possuem um setor responsável por isso, mas empresas menores podem contratar agências que fazem esse serviço.

O importante é perceber que todas as empresas podem aderir a um gerenciamento de crise e que ele pode ser bastante eficaz. Ele serve para reduzir os impactos causados por alguma crise, sendo ela financeira, econômica, patrimonial ou de acidente.

Uma boa estratégia de gerenciamento de crise começa com um bom plano de prevenção. Nessa fase, são montadas as estratégias a serem seguidas por todos os setores, independentemente da hierarquia.

Para ser eficiente na ação, o principal é identificar onde a crise se instaurou e agir rapidamente. Com isso, um plano de ação pode ser posto em prática, para dar a volta por cima e salvar a empresa.

Nessas horas, os bons líderes fazem toda a diferença, pois serão eles os porta-vozes da administração da crise empresarial. O gerenciamento de crise é capaz de livrar uma empresa da falência para que ela retome o caminho do crescimento e da prosperidade.

Nós possuímos ferramentas para viabilizar a recuperação de sua empresa. Se você precisa de ajuda, conte conosco e livre sua empresa da falência.

Crises Empresariais

Grandes problemas tendem a acontecer sempre no pior cenário. E nem sempre é possível detectar os descuidos que geram crises empresariais.

Além disso, até mesmo os pequenos problemas podem fugir de controle. Portanto, o diagnóstico e a solução implicam em uma série de fatores.

Por isso, neste artigo, separamos um guia para que você possa lidar com as crises empresariais que podem surgir pela frente.

Quais são os tipos de crises empresariais?

Podemos definir uma crise como um problema que coloca em risco o futuro de uma empresa. Essas situações podem ocorrer por influências externas ou internas.

Ao sair do controle, o problema pode gerar prejuízos graves pelo caminho. Portanto, conhecer os elementos que levam a uma crise é crucial para corrigir o percurso antes que seja tarde demais.

No entanto, a crise pode se manifestar de várias formas. O que, na prática, significa que sua organização deve estar preparada para lidar com uma série de questões.

Para te auxiliar, elaboramos uma lista dos diferentes tipos de crises empresariais que sua organização pode enfrentar.

Financeira

Não poder pagar as dívidas é um cenário assustador para qualquer organização. Isso geralmente ocorre quando há queda na demanda pelo produto e/ou serviço.

Neste caso, a empresa deve adotar uma série de medidas para cobrir os custos a curto prazo. Investindo em novas maneiras de gerar receita a longo prazo, aumentando sua margem de lucro.

Pessoal

Má conduta ética ou ilegal pode ruir a imagem de uma organização. Inclusive, isso também implica na área pessoal do funcionário, pois se a empresa apoiou o indivíduo, logo, sua reputação está em jogo.

Neste caso, é importante adotar uma ação apropriada e, caso seja necessário, fornecer uma declaração à imprensa. Portanto, a transparência é fundamental.

Organizacional

Quando uma organização prejudica seus consumidores, o preço é alto. Afinal, a empresa está prejudicando seu relacionamento com o cliente em busca de benefícios próprios. Como, por exemplo, abuso de poder.

Sendo assim, neste caso, transformar a cultura da organização é uma das melhores maneiras de gerenciar a crise. Portanto, adotar uma nova postura é essencial.

Natural

Quando o assunto envolve crises empresariais, poucas organizações estão preparadas para lidar com uma crise natural. Como, por exemplo: uma enchente ou um desabamento.

Embora seja raro e imprevisível, desastres naturais podem ter um impacto grave nos seus negócios. Portanto, se a sua organização estiver localizada em uma zona de risco, é necessário criar um plano de ação para esse tipo de emergência.

Tecnológica

A tecnologia se tornou fundamental para o funcionamento das empresas, especialmente para as tarefas diárias. Portanto, quando essa tecnologia falha, os danos podem ser alarmantes.

Imagine só a quantidade de leads que podem ser desperdiçados porque seus servidores pararam de funcionar. Esse quadro pode evoluir, gerando insatisfação por parte dos consumidores e prejudicando a receita.

Se este for seu caso, o primeiro passo é investir um bom planejamento de TI, evitando qualquer problema que possa prejudicar a relação da sua organização com os clientes.

Quais são os erros mais comuns na gestão de crises empresariais?

Infelizmente, nem sempre o gerenciamento de crises é eficaz e intuitivo, até mesmo porque exige uma série de medidas complexas para enxergar além do problema.

Portanto, separamos os principais erros que devem ser evitados ao longo do caminho.

Ignorar o desastre iminente

Às vezes, o problema não é levado com seriedade. Portanto, o presidente deixa de acompanhar de perto as medidas que devem ser adotadas e apenas delega funções.

No entanto, o papel deve ser justamente o oposto. Como líder, sua função trazer dados precisos e não suposições. Portanto, incentive sua equipe e demonstre estar envolvido no processo.

Deixar de se preparar

Sua organização foi atingida por uma crise e a primeira reação foi: “o que devo fazer?” Saiba que esse é um erro clássico devido à falta de planejamento, o que gera ações atribuladas que podem agravar o problema.

O planejamento envolve uma série de questões e abordagens que incluem, por exemplo, a proteção cibernética. Afinal, há inúmeras ameaças que podem prejudicar os dados da organização.

Esse tipo de planejamento também pode incluir treinamento para testar o plano regularmente. Por outro lado, sabemos que esse é um processo árduo e complexo.

Por isso, estamos aqui para auxiliar através de ferramentas que viabilizam a recuperação da empresa.

Quebra de protocolo

Boa parte das organizações investe em medidas rápidas para conter crises empresariais. No entanto, a pressa pode levar a decisões precipitadas, causando mais mal do que bem.

Portanto, pense duas vezes antes quebrar protocolos que podem prejudicar outras áreas a longo prazo, causando falhas na comunicação e estendendo o tempo de recuperação.

Sendo assim, ao lidar com uma crise empresarial, você deve ser metódico.

Quais as ações que devem ser adotadas para conter uma crise empresarial?

Agora que você sabe o que pode dar errado, está na hora de compreender como contornar o problema. Por isso, separamos as principais formas de gerenciar crises empresariais.

Gestão responsiva

No geral, a gestão responsiva é utilizada em crises financeiras e pessoais, mas pode ser adaptada praticamente para qualquer cenário.

Essa técnica exige um plano de ação em mãos e a comunicação intensiva de todas as partes envolvidas. Dessa forma, é possível driblar os obstáculos inesperados e criar soluções oportunas.

Gestão proativa

Esse tipo de gestão é utilizado como prevenção, portanto, antecipa crises. Os planos podem incluir formas de evitar uma crise empresarial ou como se preparar para ela.

Por exemplo, ter um seguro contra enchentes é uma alternativa para evitar uma crise natural. Nem todas as crises são palpáveis, mas o monitoramento é fundamental para reduzir ameaças e o impacto que pode ser gerado.

Gestão de recuperação

Às vezes, é difícil adotar medidas certeiras e/ou identificar uma crise empresarial. E, quando a organização se dá conta, já é tarde demais para evitar os danos, causando efeitos negativos a longo prazo.

Neste caso, talvez seja impossível reduzir o impacto no cenário atual. No entanto, é possível investir em um plano de recuperação para reconstruir a organização.

Por isso, se você deseja desenvolver um plano assertivo capaz de recuperar sua organização, saiba que nós podemos te ajudar. Entre em contato conosco!

Alguns De Nossos Vídeos No Youtube
Recuperação Judicial da Kodak
Recuperação Judicial da Chrysler
Recuperação Judicial da Kmart

Você Vai Se Surpreender Com As Oportunidades Que Temos Para Sua Empresa!