Logotipo Da Fórmula de Gestão

Atuação Nacional

Dívidas de Empresas Com Bancos, Impostos ou Fornecedores

Atuamos Em Todo Brasil!

Link Para Abrir Whatsapp da Fórmula de Gestão(11)9.8834-4926
Fundador

Há uma grande satisfação emocional e obrigação moral nessa função. Álvaro, quando mais jovem viu seu pai falir duas empresas que foram bem sucedidas e tristemente o viu também sucumbir com a queda dos seus negócios. A impotência na época diante da situação o motivou a buscar aprender e investir em ser capaz de auxiliar os empresários que passam por momentos difíceis, momentos que podem atingir um estágio crítico.

Por isso, nosso CEO, Álvaro Marcos, acumulou conhecimento e experiências ao longo de 10 anos para tornar-se um especialista em gestão de empresas em crise.

Alvaro Marcos - Fundador da Fórmula de Gestão
Contato
Oportunidades

É comum dívidas em empresas?

Sim, qualquer empresa precisa lidar com as dívidas, mesmo porque, é praticamente impossível manter um negócio apenas com recurso próprio. Em certos momentos, as empresas precisam de empréstimos para investir, para aproveitar uma oportunidade de compra a vista ou inúmeros outros motivos.

O problema é o que ocorre se as dívidas fugirem do controle. Por isso, é preciso sempre gerenciar dívidas de empresas, de modo que o negócio não acumule mais do que pode pagar e encontre formas de torná-las mais baratas. Então, neste artigo, você vai ver:

  • Como surgem dívidas de empresas?
  • Qual é a melhor forma de lidar com dívidas de empresas?
  • Como escolher as melhores dívidas de empresas?
  • A importância do planejamento
  • Como negociar as dívidas de empresas?

Como surgem as dívidas de empresas?

A primeira pergunta a ser feita é como surgem as dívidas de empresas. Existem diversos motivos pelos quais uma empresa pode se endividar, se forem eles positivos, como um crescimento que demanda um empréstimo, ou negativos, como uma falta de planejamento.

Seja qual for o motivo, é essencial investigar suas causas, de modo a evitar que ela se repita, além de permitir encontrar as melhores opções.

Qual é a melhor forma de lidar com dívidas de empresas?

Por isso, outra pergunta muito comum é qual é a melhor forma de lidar com dívidas de empresas. Essa é uma pergunta difícil, que depende da origem da dívida, seus impactos e os recursos que a empresa tem a sua disposição.

Por exemplo, em um cenário em que a empresa precisa de capital de giro, tem recebíveis em uma boa quantidade e um fluxo de caixa saudável, a antecipação dos mesmos pode ser uma ótima saída.

Em razão disso, é preciso entender a causa da dívida, as formas que a empresa tem de sair dela e os recursos a disposição.

Quer conferir as formas que você pode sair de uma dívida? Confira o nosso blog e entenda melhor sobre as alternativas!

Como reconhecer as melhores dívidas de empresas?

O importante é que o gestor saiba reconhecer a melhor dívida. Por isso, deve comparar características como taxas e prazos de modo a encontrar a melhor opção. Em via de regra, empréstimos com prazos mais longos tem juros menores enquanto mais curtos, costumam sair mais caro.

Não existe um necessariamente melhor que o outro, apenas o que faz mais sentido para o presente e o futuro da sua empresa.

Qual a importância do planejamento?

Isso significa que o planejamento, que já é algo essencial para a empresa, se torna ainda mais importante em um caso de dívida. Normalmente, uma empresa se endivida por dois grandes motivos: um é a necessidade de capital para se manter e o outro é a necessidade de investir para aumentar sua capacidade.

São casos bem diferentes, o que significa que o planejamento para lidar com as dívidas de empresas também deve ser.

Como negociar dívidas de empresas?

Por isso o empreendedor deve sempre conhecer a possibilidade de negociar as dívidas. Seja qual for sua origem, é sempre possível encontrar uma resposta mais vantajosa, seja uma operação de troca por uma mais barata, uma antecipação ou qualquer outra solução. Não existe dívida inegociável, portanto, o ideal é lidar com ela, antes que seja tarde demais.

Como liquidar dívidas de empresas com bancos?

Se seu banco cobrou juros abusivos de sua empresa e ela ficou endividada veja também nosso artigo sobre Ação Revisional de Contrato Bancário.

Primeiramente, é preciso não entrar em pânico, pois isso é uma situação perfeitamente normal. É natural precisar de um empréstimo para fazer um determinado investimento ou para garantir mais capital em caixa. Neste caso, é importante saber negociar.

Então, se você é gestor de uma empresa endividada com bancos, confira o artigo e entenda como negociar ou encontrar uma solução para seu problema. Você vai entender:

  • Como a empresa endividada com bancos negocia?
  • A Antecipação de recebíveis
  • As operações de troca
  • Como se preparar para negociar com o banco
  • Foque em dívidas de qualidade

Como a empresa endividada com bancos negocia?

Em praticamente todos os casos, os bancos estão dispostos a negociar. Por isso, encontre em contato como o seu representante nos bancos para fazer uma negociação. Você não é obrigado a aceitar a primeira proposta, portanto envie uma contraproposta que se encaixe à sua realidade.

Neste caso, é importante mostrar boa-fé na negociação. Busque uma solução que seja vantajosa para ambos e que condiz com sua realidade. Neste caso, é importante fazer um planejamento financeiro e mostrar um plano de negócios que aumentará suas chances de pagamento.

Mas, pode ser que a empresa endividada com bancos não consiga negociar. Neste caso, ela deve partir para alternativas.

Antecipação de recebíveis

Uma das alternativas mais interessantes é a antecipação de recebíveis. Com ela, sua empresa pode oferecer ao banco algum título de dívida que tem a receber, como duplicatas ou qualquer outra. Neste modo, pode negociar juros ou prazos bem menores, facilitando as condições de pagamento.

O que são operações de troca?

As operações de troca são uma alternativa semelhante. Neste caso, a empresa endividada com o banco pode procurar uma alternativa que vai trazer condições menores. Pode ser uma taxa menor, um prazo diferenciado, alguma garantia ou outra condição de pagamento.

É importante conhecer as alternativas e conversar com um especialista para buscar encontrar as opções que mais fazem sentido para o momento da empresa e o tipo de dívida que existe.

No nosso blog, você conhece mais sobre todas as alternativas para suas dívidas. Portanto, confira as opções e encontre a ideal!

Como negociar dívidas com o banco?

Independentemente das dívidas, é preciso estar preparado para negociar com o banco. Portanto, o primeiro passo é ter um planejamento financeiro. Geralmente, empresas alocam até 80% do seu lucro para o pagamento das dívidas.

Isso significa que uma empresa endividada com o banco precisa mostrar duas coisas: primeiro, que o lucro irá existir e segundo, como ele será alcançado. Portanto, como mencionado acima, o planejamento financeiro e o plano de negócios são essenciais para a negociação com o banco.

Focando em dívidas de qualidade

Então, no momento de trocar as dívidas antigas por novas, é preciso que o gestor tenha em mente a necessidade de focar em dívidas de qualidade. Ou seja, entender as dívidas que tem as melhores condições para seu negócio.

Para isso, é preciso entender o impacto que as dívidas têm no capital de giro e no fluxo de caixa. Este segundo conceito é especialmente importante, visto que sua empresa não pode sacrificar o futuro, de modo a se enfiar em um buraco ainda mais fundo.

 Em momentos de crise financeira, muitas empresas acabam entrando em uma encruzilhada sobre quais as dívidas são mais importantes para serem pagas. Neste artigo, vamos falar um pouco sobre dívidas com fornecedores e quais os riscos de uma empresa ficar inadimplente nesta situação.

Normalmente, esta situação de escolher qual dívida pagar acontece em empresas que estão com faturamento abaixo do ponto de equilíbrio e não possuem capital de giro para se manter funcionando. Ou seja, se a crise persistir, a tendência é que a empresa vá acumulando dívidas e decrete falência em poucos meses.

Veja abaixo quais estratégias você pode utilizar nesta situação e saiba como conseguir capital para o pagamento das dívidas com fornecedores:

Como negociar descontos e prazos de dívidas de empresas?

Em casos de dívidas com fornecedores a primeira atitude que o empresário deve tomar é negociar prazos mais flexíveis e descontos na dívida. Isso porque o fornecedor precisa saber que você tem a intenção de pagar, mas somente está passando por um momento de crise.

Se você perde seu fornecedor, consequentemente sua empresa para a produção e aprofunda ainda mais a crise. Caso o fornecedor proteste a dívida atrasada pela sua empresa, você terá ainda mais problemas, pois não poderá comprar de outro fornecedor.

Por isso, é importante organizar as contas da empresa e dar prioridade ao fornecedor sempre!

Quais são os riscos de ficar inadimplente?

São diversos riscos que uma empresa enfrenta ao ficar em dívida com os fornecedores. Além de ficar sem matéria prima ou produtos para vender na empresa, você corre riscos como:

  • Protestos;
  • Juros por atrasos;
  • Ações judiciais;

Todas essas consequências podem inviabilizar a continuidade da operação de sua empresa e levá-la a fechar as portas. Se sua empresa está em crise financeira, sem capital de giro e já não tem mais a quem recorrer, saiba como nós podemos te ajudar a quitar suas dívidas.

Quais as alternativas para quitar dívidas com fornecedores?

Muitas vezes, ao tentarmos negociar as dívidas com fornecedores, ouvimos a devolutiva de que é impossível negociar tais dívidas. Mas o que fazer então?

O mais indicado neste momento é não esperar que a situação se agrave. Às vezes o fornecedor pode até dar um prazo maior para o pagamento. Contudo, você precisa achar uma solução concreta para o problema e não ficar adiando e esperando que a crise passe.

Dessa forma, uma primeira solução é verificar se é possível fazer a antecipação de recebíveis. Ou seja, as vendas a crédito, cartão de crédito, boletos e cheques que sua empresa efetuou e ainda não recebeu. Caso seja possível, você antecipa o recebimento das vendas e consegue capital para injetar na empresa.

Caso esta possibilidade não possa ser executada, você pode pedir ajuda de uma empresa especializada em recuperação de empresa. Com atuação no mercado financeiro, essas companhias aportam dinheiro em seu negócio e auxiliam num plano de recuperação para que sua empresa passe por essa turbulência e volte a gerar lucros.

Quais as alternativas para quitar dívidas com fornecedores?

A dívida de empresas com a previdência é um problema extremamente comum. Afinal, esta é parte dos pagamentos que precisam ser feitos por parte dos negócios e que, muitas vezes, acabam saindo um pouco do planejado.

Qualquer dívida que a empresa contrai, acaba trazendo um enorme peso no ombro dos donos e gestores, pois podem apresentar um problema maior no futuro. Portanto, este artigo vai ajudar você a entender como lidar com dívida de empresas com a previdência. Acompanhe!

Entenda seu negócio

O primeiro passo para lidar com a dívida de empresas com a previdência é entender bem o seu negócio. O objetivo desta medida é adaptar melhor os processos.

Um exemplo clássico é a forma como a empresa comissiona às vendas. Nos processos mais fáceis, a recomendação é que o comissionamento seja um, e nos mais difíceis outro. Assim, você tem um balanço melhor dos seus gastos e ganhos.

Quais cuidados ao cortar os gastos?

Sempre que existe uma dívida de empresas com a previdência, uma das primeiras iniciativas é cortar os gastos. Isso sempre é uma boa medida, desde que seja feito com cuidado. Normalmente, os gestores pensam em cortar pessoal. Mas, além disso, trazer ainda mais problemas com a previdência pode prejudicar a capacidade da empresa de produzir. Isso é sempre bem arriscado.

Se sua empresa tem dívidas, não é o momento de entrar em pânico. No nosso blog, você encontra ótimas dicas de como lidar com as dívidas da sua empresa! Confira!

Como negociar dívida de empresas com a previdência?

Acumuladas, as empresas devem bilhões à previdência. Porém, o processo de fazer a cobrança nunca é tão simples. O Governo não tem interesse em garantir que as empresas paguem tudo o que devem, a ponto de prejudicar o negócio. Por um lado, isso é ótimo para as empresas, que têm um espaço maior para negociação.

Estabeleça um plano de pagamento

Mas, isso não significa que não deve ser estabelecido um plano de pagamento. Pelo contrário. Dívidas de empresas com a previdência são bem prejudiciais.

Normalmente, as dívidas com a previdência não estão entre as mais caras, mas o empreendedor pode procurar alternativas para lidar com o débito. Uma opção é buscar o crédito mais barato, ou fazer manobras como a antecipação de recebimentos.

O importante é que cada uma delas seja bem estudada, para entender se cabe no orçamento e planejamento da empresa, sem prejudicar a mesma no futuro.

Dívida de empresas com a previdência e o cancelamento do CNPJ

Por outro lado, é cada vez mais importante lidar com a dívida de empresas com a previdência. Existe um projeto de lei, que prevê o cancelamento do CNPJ de empresas que forem consideradas devedores contumazes. Segundo a definição, este tipo de devedor é aquele deve há mais de um ano, valores acima dos R$ 15 milhões.

Os mecanismos de cobrança podem variar de acordo com a empresa, sendo que aquelas que têm um histórico de bom pagador têm condições favoráveis no pagamento.

De qualquer forma, lidar com a dívida de empresas com a previdência é essencial. Portanto, se você está passando por uma situação com esta, entre em contato conosco e confira nosso serviço de consultoria jurídica.

Dívidas de empresas com o INSS

De acordo com informações do Governo Federal, as dívidas com o INSS - Instituto Nacional do Seguro Social praticamente triplicaram nos últimos dez anos. Isso se deve a inadimplências de diversos setores, incluindo de empresas privadas.

Empresas privadas que possuem dívidas com o INSS normalmente encontram-se em uma situação financeira extremamente delicada, que pode acarretar falência. É por isso que as dívidas de empresas com o INSS estão entre os principais motivos que levam uma empresa a pedir recuperação judicial.

Saiba como pedir recuperação financeira se sua empresa se encontra nessa situação de dívida com o INSS. 

Como Salvar Minha Empresa Das Dívidas?

Toda empresa possui dívidas. É normal dever certa quantidade de dinheiro a instituições financeiras e outras empresas para manter as atividades empresariais em funcionamento.

Entretanto, chega um momento que essas dívidas estrangulam o negócio. É aí que muitos empreendedores se perguntam: como salvar minha empresa das dívidas?

Neste texto, vamos dar algumas dicas valiosas de como agir quando as dívidas apertarem o seu orçamento. Confira conosco!

O que são dívidas sustentáveis?

Como dissemos, a dívida em si não é ruim. Afinal, é através do processo de endividamento que as empresas conseguem realizar os seus investimentos, como a compra de novos ativos e a expansão de pessoal em um momento de crescimento.

Porém, por causa de vários fatores, as dívidas podem se acumular e sair do controle. Isso pode acontecer por falta de planejamento empresarial ou até mesmo por causa de fatores inesperados de força maior que venham a prejudicar o andamento dos negócios.

Normalmente, o alerta deve ser ligado se a empresa começar a contrair dívidas para sustentar seus custos fixos, e não para investir no crescimento ou no dinamismo do negócio. Aí, medidas devem ser tomadas para evitar a falência e trazer a empresa de volta ao crescimento.

Quais as decisões do ponto de vista estratégico para liquidar dívidas empresariais?

Quando a empresa chega a este patamar de endividamento, os gestores responsáveis pelo negócio devem discutir quais rumos devem ser tomados daquele momento em diante.

Normalmente, há duas saídas possíveis, e cada uma tem suas próprias sub-ações a serem implementadas.

A primeira é recorrer ao mercado financeiro. Buscar empréstimos, financiamentos ou emitir títulos de dívida para se capitalizar e ter os recursos necessários para ultrapassar a crise e retornar ao azul.

Caso a sua dívida já tenha natureza bancária, uma saída pode ser a renegociação dos débitos. Falaremos disso mais adiante.

A segunda frente de ação seria aumentar a eficiência do negócio para reduzir custos fixos, ampliar a entrada de receita e, assim, ter a força necessária para deixar a situação de endividamento “com as próprias pernas”. Isso envolve decisões específicas que também comentaremos nos próximos itens.

O ideal pode ser mesclar ações nestas duas frentes para que a empresa tenha capital disponível para girar no curto prazo e, ao mesmo tempo, aprimore todas as suas operações para voltar a uma realidade superavitária.

É vatajoso contratar uma consultoria para recuperar empresas endividadas?

Para implementar todas estas ações da melhor maneira possível, é imprescindível que as empresas contem com apoio profissional.

Por isso, neste momento, convém muito investir em uma consultoria empresarial especializada em salvar empresas dos momentos de crise. Conheça nossos serviços.

Como recorrer ao mercado financeiro?

O mercado financeiro possibilita às empresas em dificuldade uma série de soluções que podem salvar a empresa de um momento difícil e facilitar o seu retorno a uma operação lucrativa.

Entretanto, contratar produtos financeiros deve ser feito com muita cautela para que a ação não vire uma “pá de cal” sobre uma empresa já em dificuldades.

Bancos podem proporcionar empréstimos e financiamentos para que a empresa:

Coloque dinheiro em caixa novamente;

Acerte as contas mais urgentes;

Realize as ações operacionais de emergência, como o conserto de maquinário ou a restauração de algum ativo fundamental para o bom andamento das operações.

Além disso, títulos de dívida como debêntures e CCBs podem ser emitidos para que a empresa contrai uma dívida a longo prazo com investidores ao pagamento de juros. (Consultar condições mínimas para a emissão de títulos de dívida).

Pode-se ainda tentar aportar investimentos junto ao mercado, no qual investidores aplicam dinheiro na empresa e passam também a se tornar sócios do empreendimento.

Embora este indivíduo passe a obter parcela acionária no negócio, a injeção de recursos pode ser valiosa para manter a empresa em funcionamento, mesmo pagando dividendos a um novo investidor.

Caso a empresa já deva uma quantia considerável a bancos, pode-se tentar renegociar a dívida.

Instituições financeiras especializadas em comprar dívidas de outros bancos podem oferecer à sua empresa a possibilidade de pagar parcelas menores e estender o prazo de acerto dos débitos. Entretanto, o saldo devedor deve aumentar. Por isso, necessita planejamento.

Como aprimorar as operações do negócio?

Independentemente das causas da crise financeira da empresa, sejam fatores inesperados ou operações deficitárias, o processo de recuperação passa inevitavelmente pelo aprimoramento dos processos operacionais, empresariais e administrativos do empreendimento.

Isto significa que muitas decisões chave devem ser tomadas neste momento. Algumas delas podem ser consideradas sacrifícios. Como por exemplo:

Demissão de parte dos funcionários;

Venda de ativos como terrenos, automóveis, equipamentos e outras propriedades;

Redução de salário de executivos e líderes.

Mas nem tudo na gestão desta crise são cortes. É fundamental também implementar boas práticas de ponta a ponta nos processos da empresa.

Isto significa, por exemplo, economizar recursos como água, energia elétrica, telefone e internet. Tocar a produção dos produtos ou a execução dos serviços de maneira mais econômica.

Preparar melhor a equipe de vendas para vender mais gastando menos, utilizar melhor serviços da internet para automatizar processos e reduzir custos, transferir parte das operações para a computação em nuvem e investir em Marketing Digital para vender mais gastando menos.

É importante contratar apoio profissional para pagar dívidas empresariais?

Se a sua empresa conseguir capitalização, cortar gastos, operar com mais eficiência e vender melhor, certamente poderá ser salva da falência.

Entretanto, é mais fácil falar do que fazer. É por isso que, acima de tudo, agora a sua empresa precisa de apoio profissional na tomada de decisões.

Desta forma, em um momento como este, a consultoria empresarial especializada na recuperação de empresas em falência irá analisar especificamente caso a caso.

Assim, pode emitir um diagnóstico e auxiliar num plano de ação construído para atuar naquele contexto e naquela empresa, posicionando-a melhor no mercado em que está.

Em um momento no qual é fundamental cortar gastos, o investimento em consultoria empresarial se mostra como uma aplicação fundamental de recursos para garantir que a empresa não sucumba às dificuldades financeiras. O retorno vem em forma de mais sustentabilidade econômica para o seu negócio.

Acesse hoje mesmo nosso site para conhecer nossos serviços em recuperação empresarial.

Como Pagar as Dívidas da Minha Empresa?

Com os contratempos existentes no meio empresarial, surgem os gastos para manter a organização em funcionamento. De acordo com a Serasa Experian, a falta de planejamento na hora de organizar o financeiro é responsável por mais de 5,4 milhões de empresas entrarem em estado de inadimplência no Brasil.

Gerar escalabilidade no mercado não é uma tarefa fácil. Dessa forma, ao mesmo tempo em que o objetivo da organização são os lucros de produtos e serviços prestados em relação aos custos feitos para garantir as ações lucrativas, esse contexto tende a desequilibrar-se com o tempo. Está com contas vencidas? No post de hoje nós daremos as melhores dicas para pagar as dívidas e antecipar-se de possíveis problemas financeiros.

Como perceber se a empresa está muito endividada?

Antes de tudo, os primeiros sinais de endividamento da organização é quando os fornecedores começam a exigir pagamentos á vista, ou quando as instituições financeiras não refinanciam, ou aumentam o limite de crédito para serviços. Além disso, observam-se também os protestos, falta de liquidez e furos de caixa constantes.

Contudo, muitos empreendedores ignoram o fluxo de caixa, cuja ação pode auxiliar e muito na visualização mais precisa no que tange aos gastos e as receitas da empresa. Sem essa ferramenta, a organização pode facilmente cair na conta negativa. Por isso, essa ferramenta é crucial para lançar finanças e prever entradas e saídas.

Qual a importância do Fluxo de Caixa?

Basicamente, essa aplicação ajuda no controle de gastos, auxiliando na gestão financeira de futuras complicações e evitando que erros do passado retornem. Ela mensura as entradas e saídas em determinado período, dividindo o fluxo entre atividades operacionais, investimento e financiamento.

Quando é feito de maneira eficiente, mostra o exato valor que a empresa possui, determinando a saúde financeira do negócio. Assim, o empreendedor tem maior controle sobre o que precisa ser gasto mediante ao que entra no caixa.

Quais os tipos de fluxo de caixa?

Dentre outros benefícios inclusos no Fluxo de Caixa, podemos destacar:

1. Fluxo de caixa livre

Relaciona-se aos dividendos pagos pela organização ou investimentos que ela fez, pois o fluxo de caixa livre demonstra o dinheiro que ainda restou na empresa para pagar as dívidas e adquirir outros recursos.

2. Fluxo de caixa direto

Esse modelo mensura de forma bruta os pagamentos e recebimentos das atividades, sem realizar desconto nos valores.

3. Fluxo de caixa indireto

Baseia-se nos lucros e em prejuízos que são dispostos no DRE, adaptando-os de acordo com os itens econômicos, tais como amortização e depreciação .

4. Fluxo de caixa projetado

Nesse caso, a ferramenta possibilita ao empreendedor a antecipação de risco ou falhas que comprometem o caixa da empresa. Assim, estratégias poderão ser feita para evitar possíveis riscos.

5. Fluxo de caixa operacional

Essa ferramenta analisa por um período determinado as receitas e despesas. É calculado com a soma do lucro antecedendo os juros e impostos.

6. Fluxo de caixa diário

Geralmente usado para analisar de forma diária tudo que entrou e saiu da organização. Seguindo essa linha, é correto afirmar que fazer fluxo de caixa diário em períodos maiores pode causar prejuízos, já que essa ferramenta é indicada para empresas que possui movimentações intensas diariamente.

7. Fluxo de caixa descontado

É usado para mostrar os valores atuais de um negócio mediante ao dinheiro que possa se gerar no futuro. Dessa forma, duas variáveis são analisadas: o risco e o retorno. Assim, para se chegar ao resultado, são consideradas ações futuras do fluxo de caixa e descontos, dando a estimativa do potencial do investimento, riscos, ROI, e etc.

8. Fluxo de caixa simples

Consiste em anotações (sejam diárias ou semanais) considerando o valor que a organização já tinha no momento de sua abertura, somando todas as entradas e subtraindo as saídas, revelando o fluxo de caixa naquele período.

Minha empresa está devendo muito: qual é o primeiro passo?

Antes de mais nada, o empreendedor precisa organizar todas as dívidas da empresa e desenvolvê-las em programas que o façam visualizar o montante total. A partir do momento em que os gastos são visualizados, é mais fácil entender quando é possível aumentar as despesas ou diminuí-las, bem como reduzir custos desnecessários.

Dessa forma, existem algumas ferramentas de auxílio, como por exemplo: planilhas online (excel), calculadoras online e aplicativos pagos para o esboço de forma organizada.

Contudo, também é importante comunicar aos fornecedores sobre a situação financeira atual em que organização se encontra e sobre os métodos que a empresa está buscando pagar as dívidas. Para saber mais, acesse o nosso blog e conheça outras dicas importantes que vão auxiliar a sua situação financeira.

Quais as principais dicas para pagar dívidas da empresa?

Inicialmente, as ações necessárias para pagar as dívidas ou até mesmo evitar que outras pendências surjam no caminho, são processos como:

01 — Vender os ativos da organização ou do acionista em questão para fins de capitalização;

02 — Pedir prazos maiores aos fornecedores para realizar o pagamento do débito;

03 — Cobrar os clientes que estão em atraso ou pedir adiantamento de valores;

04 — Reduzir ao máximo o estoque e aumentar a eficácia da produção. Entretanto, caso haja necessidade, realizar just in time;

05 — Evitar, sobretudo, o atraso de pagamento da folha de pagamento e evitar atrasos em impostos, como INSS retido de funcionários;

06 — Pensar na possibilidade de recuperação judicial, caso a situação possa se agravar. Nesse caso, tente entrar com esse recurso com algum caixa extra.

07 — Buscar recursos de longo prazo;

Qual a melhor saída para dívidas da empresa?

Na pressa para pagar as dívidas existentes, a organização tende a recorrer imediatamente aos bancos para pedir linhas de crédito de forma mais rápida e acessível. No entanto, além de ser a opção mais cara, a ação é mais perigosa quando não há o cumprimento do pagamento, ocasionando mais dívidas pelos juros bancários que tendem a aumentar excessivamente.

Assim, a melhor saída para esses casos são a contratação de empresas que dão aporte capital às organizações sob dívidas. Além disso, essas empresas possuem parcerias no mercado financeiro e fornecem assessorias e ferramentas necessárias para ajudar no pagamento de dívidas sob condições especiais.

Portanto, agora que você já sabe o melhor caminho para garantir a saúde financeira de sua organização e ações para pagar as dívidas, acesse o nosso blog e conheça os nossos serviços.

Alguns De Nossos Vídeos No Youtube
Recuperação Judicial da Kodak
Recuperação Judicial da Chrysler
Recuperação Judicial da Kmart

Você Vai Se Surpreender Com As Oportunidades Que Temos Para Sua Empresa!