Logotipo Da Fórmula de Gestão

Atuação Nacional

O Que é Uma Operação Estruturada?

Atuamos Em Todo Brasil!

Link Para Abrir Whatsapp da Fórmula de Gestão(11)9.8834-4926
Fundador

Há uma grande satisfação emocional e obrigação moral nessa função. Álvaro, quando mais jovem viu seu pai falir duas empresas que foram bem sucedidas e tristemente o viu também sucumbir com a queda dos seus negócios. A impotência na época diante da situação o motivou a buscar aprender e investir em ser capaz de auxiliar os empresários que passam por momentos difíceis, momentos que podem atingir um estágio crítico.

Por isso, nosso CEO, Álvaro Marcos, acumulou conhecimento e experiências ao longo de 10 anos para tornar-se um especialista em gestão de empresas em crise.

Alvaro Marcos - Fundador da Fórmula de Gestão
Contato
Oportunidades

As operações estruturadas estão entre as mais interessantes do mercado financeiro. Este tipo de operação financeira permite que um investidor possa negociar dois ativos que não têm muito em comum, de modo a obter um resultado diferenciado.

Se este conceito ainda parece um pouco difícil de entender, este post vai mostrar para você o que é uma operação estruturada e como ela pode ser interessante para você conseguir investir de forma mais inteligente. Porém, para o conceito ficar mais claro, é preciso entender um pouco sobre o mercado financeiro.

O que é um derivativo?

O risco é um dos principais fatores do mercado financeiro. Além de ser essencial para os investidores saberem como proteger o seu capital, ainda é um fator com influência direta no rendimento. Então, investimentos com maior risco tendem a apresentar os maiores potenciais de retorno.

Portanto, um derivativo nada mais é do que uma forma de transferir riscos. Entre as alternativas mais comuns existem a opção, o contrato futuro e o contrato de swap. Estas são opções que ajudam a controlar o preço de um determinado ativo. Mas, o que isso tem a ver com as operações estruturadas?

Por que fazer as operações estruturadas?

É bem simples, na verdade. A operação estruturada também é uma forma de controlar o risco. Ela permite diversas oportunidades para quem tem um ativo e quer explorá-lo melhor. Por isso, é possível praticar a arbitragem, negociando um ativo em mercados diferentes, de modo a aproveitar a diferença de preços entre eles.

Outro uso comum das operações estruturadas é a proteção, em que o investidor limita o derivativo ao risco, garantindo o valor investido.

Por fim, também é muito comum o processo de alavancagem, que é aumentar o valor de um ativo de acordo com a sua oferta e demanda.

Seja qual for o objetivo da operação estruturada, a forma como ele é feita é sempre a mesma. São combinados dois ou mais ativos em uma operação que depende de todos. Portanto, um exemplo bem básico é combinar ações com renda fixa. Assim, a renda variável é responsável por aumentar o rendimento enquanto a outra garante a segurança da proteção.

O que é COE?

O COE se tornou o garoto propaganda deste modelo, por ser o mais conhecido entre os investidores. Existem diversos tipos de operações estruturadas, como as vendas a descoberto, o aluguel de ações, o lançamento coberto, collar, termo e diversas outras.

Porém, é preciso deixar bem claro que as operações estruturadas são complexas, recomendadas para quem tem mais experiência no mercado de ações. Além disso, apesar de terem uma forma de segurança, são recomendadas para investidores com um perfil mais arrojado, que aceitam uma exposição maior ao risco.

Este é o maior benefício do COE. Da mesma forma que investir em um fundo permite que ele invista na bolsa sem conhecer tudo sobre ações, o COE permite que ele invista em operações estruturadas, sem precisar montá-la. Neste caso, quem monta a estrutura é o banco e o investidor a compra.

Quer conhecer mais sobre investimentos que podem ajudar você a investir melhor o recurso da sua empresa? Então confira o nosso blog e descubra mais!

Como funciona o COE?

Então, o COE é bem simples de entender. A instituição financeira monta a operação estruturada que é como se você um envelope. Neste envelope, são colocados os mais diversos ativos, dependendo da estratégia da instituição. Normalmente, a forma mais direta é uma mistura de ações e títulos de renda fixa.

Porém, para aplicar no COE o banco precisa de dinheiro, então ele vende estes certificados para o público, de acordo com algumas regras para proteger ambas as partes da operação.

Para o investidor, existem dois tipos de COE, o com capital protegido ou não. No primeiro, não existe risco de perder o valor investido. Mesmo se tudo der errado com a operação, o valor investido inicialmente é recebido de volta, sem ganhos nem perdas. Já no segundo modelo, pode haver uma perda do valor investido, mas o investidor jamais sairá devendo.

Por conta desta proteção, o risco é maior para o banco. Por isso, os ganhos para ele são mais altos. Geralmente, cada COE tem um conjunto de regras que limita os ganhos para o investidor.

Um exemplo de COE

Para ficar mais claro como o COE funciona, um exemplo pode ajudar. Digamos que o banco e os investidores acreditam que a bolsa de valores terá resultados positivos nos próximos meses. Então, eles montam uma operação estruturada, com ativos de renda fixa e a atrelada a bolsa. Este é o fator de alavancagem com limite de 10%. Ou seja, se a bolsa desvalorizar, o investidor recebe tudo de volta e não perde nada. Se valorizar até 10%, recebe o valor de acordo com a valorização. Porém, se valorizar mais do que isso, fica travado a este valor e o restante do retorno vai para o banco.

Quando vale a pena investir em operações estruturadas?

Estes investimentos têm algumas vantagens, sendo que a maior delas é a possibilidade de diversificar. Como eles apresentam certa segurança, você pode investir em mercados que não tenha tanto conhecimento, especialmente se for pelo COE.

Porém, vale destacar mais uma vez que as operações estruturadas podem ser muito vantajosas também do ponto de vista do rendimento. Se você ou sua empresa pretendem montar uma operação, é preciso contar com alguém que tenha bastante experiência no mercado financeiro.

o COE, por outro lado, é mais simples, e pode ser comprado por praticamente qualquer investidor. Só é recomendado que ele leia bem as regras para não ter nenhuma dúvida em relação à operação.

Por que é importante para as empresas conhecer isso?

Se você tem uma empresa, não precisa ser expert em mercado financeiro. Não é necessário conhecer todas as opções a fundo, mas é interessante saber o básico sobre elas, e entender que as mesmas existem.

Assim, você sabe melhor onde investir o recurso do seu negócio e garantir cada vez mais retorno para o mesmo.

Portanto, se quiser saber mais sobre investimentos que podem ajudar a potencializar o retorno financeiro da sua empresa, acesse o nosso blog e aprenda mais sobre o assunto.

Alguns De Nossos Vídeos No Youtube
Recuperação Judicial da Kodak
Recuperação Judicial da Chrysler
Recuperação Judicial da Kmart

Você Vai Se Surpreender Com As Oportunidades Que Temos Para Sua Empresa!